Seu e-mail foi cadastrado com sucesso

Receba nossas novidades por e-mail

Ao enviar seu e-mail você está aceitando receber as novidades da MDM e seus parceiros.

Fechar

Publicado em 14/08/2020

Governo Dória quer vender tudo, e acabar com a CDHU!

por Tonhão

Nesta quarta(12), Doria enviou um novo pacote para venda de empresas públicas, totalizando 10 instituições das áreas de saúde, transporte, terras e meio ambiente. É o maior desfalque já feito ao patrimônio público do Estado de São Paulo. Tal qual, o ex. Secretário do Meio Ambiente de Alckmin, e atual Ministro de Bolsonaro – Ricardo Sales – Doria percebeu que a pandemia é o momento de passar a boiada!

Choca ao povo paulista e os movimentos de moradia, a extinção de uma empresa do porte da CDHU, com mais de 50 anos de existência e a produção de mais de meio milhão de habitações, sobretudo para baixa renda (90%). É uma empresa que cumpre um importante papel na redução das desigualdades e do déficit habitacional, financiando habitação de interesse social.

Apesar dos últimos governos não priorizarem programas em parceria com os movimentos, e sim com o mercado ou prefeituras, ainda assim, a CDHU é imprescindível para democratização do acesso a moradia em todas as regiões do Estado, incrementando tecnologias ambientais que reduzem consumo de água e energia.

Além de habitação a CDHU também produz urbanização, infraestrutura, requalificação urbana e recuperação ambiental, melhorando as condições de moradia de milhares de pessoas, através de programas e profissionais envolvidos, que dão a empresa reconhecimento e prêmios internacionais, como o “Selo Mérito 2017” e o “Prêmio Lúcio Costa”.

O fim da CDHU significa o abandono de milhões de trabalhadores(as) de baixa renda que aumentarão sucessivamente o déficit habitacional no Estado de São Paulo. O resultado dessa irresponsabilidade promovida pelo Governador Dória será o aumento das ocupações, o comprometimento de áreas de mananciais, moradias em áreas de risco e o aumentos abusivo dos aluguéis. Além de tudo, este pacote levará ao desemprego 5,6 mil funcionários públicos e 6 mil trabalhadores celetista (CLT até 1983).

Em defesa da moradia popular! Não a extinção da CDHU!

Compartinhe esta notícia:

Voltar ao Topo