Seu e-mail foi cadastrado com sucesso

Receba nossas novidades por e-mail

Ao enviar seu e-mail você está aceitando receber as novidades da MDM e seus parceiros.

Fechar

Publicado em 08/05/2019

FACESP reforça Ato Municipal em Defesa do Programa Mais Médicos

A ameaça ao “Programa Mais Médicos” na Cidade de São Paulo fez com que inúmeros movimentos se reunissem na manhã desta quarta (8), em frente a Secretaria Municipal de Saúde, ao lado e em apoio aos médicos que atendem a população mais necessitada que vive nos bairros periféricos. Além da FACESP que conduziu o ato através de seu Diretor e Conselheiro Municipal de Saúde, o companheiro Freitas, estiveram manifestando sua solidariedade também os Sindicatos: Marceneiros, Sindsep, Sindsaúde, Sindicomunitário, Simesp e as Entidades: CONAM, MDM, UBM, CMP, UBM, Siprosig, MNPR, entre outras.

As entidades comunitárias, que representam a base da FACESP sabem do sofrimento que essa crise social e econômica trouxe ao povo que mais precisa das políticas públicas. Bolsonaro, antes de ser eleito já perseguia o “Mais Médicos”, e o atual Prefeito Bruno Covas, junto com seu secretário, Edson Aparecido não tem feito o esforço necessário para manter os médicos de São Paulo. É urgente a renovação dos contratos desses profissionais que se encerram uma parte em junho, e outra em agosto, impedindo-os de continuar trabalhando e a população que ficará privada do atendimento médico nas unidades de saúde.

Hoje o “Programa Mais Médicos”, mesmo com poucos profissionais, faz mais de 20 mil atendimentos/mês. São 700 consultas de pré-natal, 450 consultas de crianças até 2 anos, atendimentos em ginecologia, pediatria, saúde do idoso, diabéticos, hipertensos, saúde mental, tabagismo/álcool, planejamento familiar, entre tantos outros. Resumindo; não há como abrir mão deste inestimável serviço de saúde que é direito do povo. Não há como não LUTAR.

Matéria e fotos colaborativas: TONHÂO – Diretor de Comunicação FACESP

Compartinhe esta notícia:

Voltar ao Topo