Seu e-mail foi cadastrado com sucesso

Receba nossas novidades por e-mail

Ao enviar seu e-mail você está aceitando receber as novidades da MDM e seus parceiros.

Fechar

Publicado em 13/06/2018

MDM promove oficina sobre a ditadura no Brasil e a crise atual

O Núcleo MDM – Guarapiranga realizou neste domingo (10), uma oficina com o professor e historiador Altair Freitas, denominada: “Ditadura e Intervenção Militar – Verdades e Mentiras”. O público formado por associados e coordenadores do movimento ouviu atentamente, durante uma hora as explicações e os argumentos muito bem fundamentados sobre o que foi o período da Ditadura Militar no Brasil e suas consequências para o país. Após sua fala, inúmeros associados deram opiniões e fizeram perguntas.

O debate proposto pelo movimento vem num momento onde idéias atrasadas tentam se aproveitar de uma crise social, ética, econômica e política criada a partir de um golpe, onde se colocou no poder um governo ilegítimo e desmoralizado, que trama contra a nação e atende aos sujos interesses internacionais. Essas idéias hoje circulam pela grande mídia comercial e pelas redes sociais, que viraram um esgoto por onde escorrem ataques a democracia, a liberdade de expressão, aos direitos civis e a livre manifestação e organização dos movimentos sociais.

O professor Altair desmontou a farsa, ponto a ponto, daqueles que, por má fé ou por desinformação dizem que o “tempo da ditadura” foi bom. Primeira mentira – “Não existia corrupção”: numa ditadura a corrupção jamais irá aparecer, pois tudo é proibido e não existe transparência nem investigação. Imprensa livre, nem pensar! Segunda mentira – “Tínhamos Educação de qualidade”: na verdade os estudantes e professores não podiam pensar, apenas seguir um caderno de regras dos militares, o índice de analfabetismo superava os 30%. Terceira mentira – “A economia e a vida do povo melhorou”: os militares deixaram a uma dívida praticamente impagável, deixaram o salário mínimo valendo metade do que ele valia antes do golpe militar e o tal “milagre econômico” que durante alguns anos fez a economia crescer só foi aproveitado pelos ricos, pois quando o bolo cresceu não foi dividido.

A quarta, entre tantas mentiras – “Na ditadura não tinha criminalidade”: impossível ter segurança pública, quando os próprios militares praticavam sequestros, assassinatos, torturas e estupros contra aqueles que exigiam liberdade e democracia. Naquele tempo seria impossível existir um movimento como o MDM, um sindicato ou uma entidade estudantil. Músicas, filmes, livros, peças teatrais, jornais e revistas eram censurados e proibidos. Vigorava a Lei do Silêncio.

Quem sabe um pouco da história jamais terá saudade da ditadura militar. O povo é dono de seu destino. Tem o direito de acertar ou errar, tem o livre arbítrio e ninguém de farda poderá lhe roubar novamente esse direito. Um movimento social deve ensinar o que a escola não ensinou ou o que a mídia omitiu. Por isso a aula do professor Altair, realizada na oficina no MDM ajudou com que as pessoas possam saber que Bolsonaro representa esse passado de trevas do Brasil, e o povo brasileiro busca um futuro de luz, paz, justiça e igualdade de direitos.

Veja abaixo mais fotos desta importante atividade para tantos cidadãos que merecem saber a verdade por de traz das cortinas:

Compartinhe esta notícia:

Voltar ao Topo